A importância de um idioma estrangeiro com fins específicos para a carreira

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google Plus
O mercado de trabalho ressente-se, há algum tempo, da falta de qualificação da mão de obra disponível, resultado de um investimento que o Brasil não tem feito como nação. Como consequência, vemos hoje empresas e associações de classe preenchendo essa lacuna com o objetivo de preparar seus profissionais para conquistar maior produtividade e excelência.
Empresas que desejam investir na capacitação de seus colaboradores para que aprendam um idioma devem analisar com atenção as necessidades e os objetivos dessa capacitação para que seu investimento possa alcançar os resultados desejados.
De quê inglês precisam, por exemplo, os profissionais que prestam serviços específicos, como os que são necessários durante eventos internacionais? Um taxista precisa saber conjugar os verbos no passado? Uma camareira precisa saber os verbos que indicam probabilidade? Um garçom precisa saber os comparativos de inferioridade e superioridade? É óbvio que não. Infelizmente, esses são alguns dos conteúdos listados nos programas de determinados cursos oferecidos para esses profissionais.
Os cursos de inglês para fins específicos (ESP ? English for Specific Purposes) se opõem ao que chamamos de General English (Inglês "geral"), justamente pelo fato de o aprendiz ter objetivos de aprendizagem específicos. Precisamos conhecer as situações pelas quais eles passam em suas rotinas de trabalho para entendermos suas necessidades de comunicação, e a isso chamamos análise de necessidades.
A partir dessa análise, podemos criar situações de aprendizagem que possibilitem aos alunos duas habilidades básicas: entender o que está sendo pedido ou questionado e responder adequadamente a essa solicitação. Essas situações devem ser praticadas oralmente e de formas variadas para que o aluno vivencie as possibilidades de comunicação com as quais provavelmente vai se deparar.
No caso das empresas, por exemplo, todo investimento, financeiro e de tempo, pode ser em vão se não houver cuidado na escolha do que será feito e como isso será feito. A seleção dos conteúdos e a escolha da forma como se dará o processo de ensino e aprendizagem são de fundamental importância quando se pensa em educação continuada. O resultado desse cuidado será um adulto com desenvoltura para se comunicar em inglês dentro de suas situações-alvo profissionais e, ainda, com autoestima para aprender mais e sempre, porque confia que vai conseguir.
Entre em contato com a Pronto! Consultoria Linguistica, com 15 anos de experiência em atendimento empresarial atigindo os resultados para as necessidades desejadas. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Cerca de 80% dos executivos perdem oportunidades por não serem fluentes em inglês
Apenas 11% dos brasileiros conseguem se comunicar em inglês
A língua espanhola hoje é considerada a terceira língua mais falada no mundo e não se limita apenas aos falantes de língua materna, que já ultrapassa os 300 milhões de pessoas. Esse número cresce a cada ano pela quantidade de indivíduos que aprendem o idioma como uma língua estrangeira.
O inglês sustenta o primeiro lugar, seguido do mandarim, falado na China, que permanece em segundo lugar devido à quantidade de habitantes deste país, porém o espanhol se destaca no mundo comercial, principalmente na comunidade europeia, onde junto com o inglês são as línguas mais utilizadas. Outro dado interessante é que vem alcançando um número considerável de internautas, sendo atualmente a terceira língua mais utilizada na internet.
No Brasil, a proximidade com as fronteiras de países hispanofalantes e o aumento das relações comerciais impulsionadas pelo MERCOSUL, levaram o governo brasileiro a introduzir a língua espanhola como oferta obrigatória nas escolas, através da Lei nº 11.161, em 05 de agosto de 2005.